As celebrações do aniversário da Fundação FEAC, que completa 60 anos em 14 de abril do ano que vem, já começaram. Nesta quinta-feira (17), a FEAC promoveu um coquetel de lançamento de dois livros que comemoram sua história e seu impacto em Campinas. O encontro especial aconteceu no Casarão da FEAC e reuniu membros da instituição, organizações parceiras e convidados externos. (Confira as fotos do evento no fim do texto)

São seis décadas de histórias e projetos registrados nos livros FEAC e a reinvenção do social pela atuação em rede e Tempo de esperançar, respectivamente. Ambos são presentes de aniversário da Fundação Educar DPaschoal, uma importante parceira que está ao lado da FEAC desde as primeiras ações, na década de 1960.

“Os livros retratam a trajetória e atuação da Fundação FEAC e da sua rede de parceiros em prol do desenvolvimento social da cidade e pela superação das vulnerabilidades sociais. É uma história que conta seis décadas de funcionamento de um modelo que se consolida a partir de uma articulação da própria sociedade civil”, resume Jair Resende, superintendente socioeducativo da FEAC.

FEAC e a reinvenção do social pela atuação em rede convida o leitor a mergulhar nos 60 anos de história da Fundação FEAC, e conhecer as suas primeiras ações, a formação da rede, as articulações nos territórios e as estratégias de inovação adotadas que a tornaram a principal organização social de Campinas. O livro foi escrito pelo jornalista José Pedro Soares Martins, também autor das obras comemorativas que celebraram os 40 e os 50 anos da FEAC.

Tempo de esperançar é uma oportunidade para conhecer de perto grandes projetos da Fundação FEAC que contribuíram para significativas transformações sociais na cidade. Escrito pela jornalista Kátia Camargo, o livro percorre 15 projetos com depoimentos das equipes dos Programas da FEAC e de Organizações da Sociedade Civil (OSC) parceiras e histórias de pessoas beneficiadas.

Registros de uma sociedade civil fortalecida em Campinas

A Fundação FEAC sempre agiu a favor de uma sociedade mais justa, investindo em projetos que atendem adultos, pessoas com deficiência e idosos em situação de risco social e, em especial, crianças e adolescentes vulnerabilizados. Os livros são registros dessa importante atuação, que é fortalecida por uma rede composta por organizações sociais e pela sociedade civil que atuam em todas as regiões de Campinas.

Segundo Jair Resende, essa capacidade de articulação e capilaridade de atuação nos territórios vulneráveis são as principais características da Fundação FEAC. Além disso, o apoio da FEAC às OSC é fundamental para o processo de transformações sociais da cidade.

“Seria uma coisa muito boa se toda cidade tivesse uma FEAC. Tivesse uma organização que, a partir de uma visão de desenvolvimento social, consegue articular e apoiar uma rede de organizações que atuam diretamente nos territórios. Fazendo um trabalho de articulação desse processo junto ao poder público, a outros institutos e fundações de Investimento Social Privado e às empresas também”.

Conselho Curador e filhos do Dr. Darcy, idealizador e um dos fundadores da Fundação FEAC

Conselho Curador e filhos do Dr. Darcy, idealizador e um dos fundadores da Fundação FEAC

 

Celebrar o aniversário da FEAC é também celebrar momentos inesquecíveis de Campinas. Luis Norberto Pascoal, membro do Conselho Curador da FEAC e presidente da Fundação Educar DPaschoal, diz que os livros também são um presente para a memória da cidade.

“A FEAC e Campinas sempre estiveram na minha vida como escola e assembleia de pessoas fantásticas. E ainda hoje, [a FEAC] mantém sua força e razão a todo momento que enfrentamos desafios sociais.  Aproveitar a expertise da Fundação Educar em processos editoriais e presentear a FEAC é, na verdade, uma forma de registrar o legado de tamanhas contribuições feitas para organizações e para a cidade de Campinas”.

Um modelo de ação social inovador

Como a Fundação FEAC mantém um modelo de ação social inovador em 60 anos? Esta é a pergunta que o livro FEAC e a reinvenção do social pela atuação em rede busca responder ao resgatar memórias de projetos, ações e eventos da organização em Campinas.

Em todos os seus anos de atuação, a FEAC procurou se adaptar e renovar práticas que estão no seu DNA para solucionar problemas de diferentes contextos sociais. Um exemplo é a campanha Mobiliza Campinas, que a organização realizou na pandemia da Covid-19, e que é um dos destaques do livro.

Mobiliza Campinas foi uma campanha emergencial criada em 2020 para ajudar famílias em situação de fome e insegurança alimentar afetadas pela pandemia. De 2020 a 2022, a campanha beneficiou mais de 70 mil campineiros. Entretanto, essa não foi a primeira ação de combate à fome da Fundação FEAC.

Em 1968 a organização foi convidada pelo Centro Regional do Serviço Voluntário Internacional para ser uma das lideranças da Campanha Mundial contra a Fome promovida pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). A iniciativa recebeu o nome de Campanha da Juventude contra a Fome no Brasil e a FEAC conduziu a ação em Campinas.

Explicar a trajetória de sucesso da Fundação FEAC foi a principal motivação para escrever o livro, segundo José Pedro Soares Martins. Ele ouviu membros do Conselho Curador e das Superintendências que vivenciaram vários momentos históricos da organização. Também teve conversas emocionantes com os sócios-fundadores Eduardo de Barros Pimentel e os saudosos Flávio Eduardo Lopes e Darcy Paz de Pádua, que faleceram recentemente, em 2021 e 2022, respectivamente.

“Citando uma frase do Dr. Eduardo, ele disse que a FEAC teria que ser muito mais forte e atuante depois dessa catástrofe que foi a pandemia e que ela mostrou isso. Ela mostrou a sua fortaleza, indicando que novos desafios com certeza virão e ela está preparada para responder da melhor forma”, diz Martins.

Uma história marcada por transformações sociais

Ao longo de 60 anos, a Fundação FEAC se dedicou a vários projetos que beneficiaram a vida de milhares de campineiros e despertaram profundas transformações sociais em Campinas. Tempo de esperançar é um retrato cuidadoso de todo esse esforço da FEAC, que sempre buscou promover o bem-estar das diversas populações da cidade.

No livro, são apresentadas diferentes iniciativas como o Projeto Trilhar, que prepara jovens em situação de acolhimento para a maioridade, e o Projeto Brinca Comigo, que restaurou os espaços da OSC Casa da Gestante para oferecer um melhor acolhimento a mulheres grávidas ou puérperas em situação de risco social.

Com depoimentos de membros dos Programas da FEAC e de OSC parceiras, alguns capítulos também apresentam histórias de pessoas que foram impactadas pelos projetos, como é o caso da empreendedora Vanessa Sigalla. Ela participou do Empreende Campinas em 2021 e, graças aos conhecimentos que ganhou no curso do Projeto, montou o seu primeiro negócio, o Dog da Vanessa.

Ao todo, são retratadas 15 iniciativas: Empreende Campinas, Agricultura Urbana, Trilhar, Brinca Comigo, Qualifica: da cabeça aos pés, Florescer, Asas, Codifica, Novo Olhar, UrbanizArte, Oficina Locomover, Gerir e Gerir Estratégico, Hub de Cidadania Ativa e Potencializar.

Para escrever Tempo de esperançar, Kátia Camargo visitou os espaços onde os projetos são realizados e conversou com as equipes das OSC e as populações beneficiadas. Ela conta que sempre admirou o trabalho da Fundação FEAC, mas ver pessoalmente os frutos gerados pelos projetos enriqueceu a sua visão sobre a importância da atuação do terceiro setor.

“Sempre acreditei que lugar de repórter é na rua. Quando o Luis Norberto Pascoal, da Fundação Educar DPaschoal, me convidou para escrever sobre os projetos da FEAC pude resgatar essa essência do jornalismo que eu tanto acredito. Conhecer o impacto que esses projetos podem causar nas pessoas, nas suas comunidades e na sociedade traz esperança para seguir acreditando na construção de um mundo melhor para todos. Não tenho dúvidas que a escrita desse livro foi um presente na minha vida pessoal e também no meu olhar do jornalismo”, relata.

Sobre os livros e os autores

Capa - FEAC e a reinvenção do social pela atuação em redeFEAC e a reinvenção do social pela atuação em rede

Autor(a): José Pedro Soares Martins*

Edição: Fundação Educar

Páginas: 128 páginas

Leia o livro.

Capa - Tempo de esperançarTempo de esperançar

Autor(a): Kátia Camargo**

Edição: Fundação Educar

Páginas: 128 páginas

Leia o livro.

 

*José Pedro Soares Martins é jornalista, consultor de comunicação e autor da coluna Hora da Sustentabilidade do portal de notícias Hora Campinas. Tem mais de 70 livros publicados sobre organizações e ESG. É autor dos livros de 40 e 50 anos da Fundação FEAC.

**Kátia Camargo é jornalista e autora da coluna Caçadora de Boas Histórias do Hora Campinas. Já atuou como assessora de imprensa e escreveu para o caderno de cultura e a revista Metrópole do jornal Hora Campinas. Venceu as 13ª e 21ª edições do Prêmio FEAC de Jornalismo.

Os livros estão disponíveis em PDF para download em https://feac.org.br/outras-publicacoes/

Crédito das fotos: Ricardo Lima

Sobre a Fundação FEAC

A Fundação FEAC é uma organização independente que atua em Campinas (SP) com o objetivo de contribuir para criação de uma sociedade mais justa, sustentável e com igualdade de oportunidades. Para isso, investe em ações de educação, assistência social e promoção humana com foco nas regiões e nas populações mais vulneráveis, especialmente crianças e jovens, e no impulsionamento de organizações da sociedade civil, empresas e pessoas para as causas sociais.

Mais informações

Fundação FEAC

Camila Mazin – Analista de Comunicação

(19) 3794-3523, (19) 99934-2578