Programa Enfrentamento a Violências2021-08-10T18:06:00-03:00

O Programa Enfrentamento a Violências da Fundação FEAC atua no combate a todas as formas de violência e na mitigação dos seus impactos. Tem como objetivo romper os ciclos que as perpetuam para promover o bem-estar e a cultura de respeito, empatia, tolerância e paz.

Logotipo do Programa Enfrentamento a Violências, da Fundação FEACAs violências decorrem de múltiplos fatores e frequentemente estão ligadas ao agravamento de situações de conflito. Afetam prioritariamente crianças, adolescentes, jovens e mulheres e acentuam as desigualdades sociais.

O programa investe em ações que buscam desnaturalizar as diversas formas de violência, como campanhas e processos educativos de caráter preventivo voltados para promover mudanças culturais. Busca ainda o fortalecimento das redes protetivas, apoiando projetos de qualificação e humanização dos serviços e processos de identificação, acolhimento e atendimento às pessoas atingidas.

O Programa Enfrentamento a Violências integra a dimensão de trabalho Empoderando populações vulneráveis da Fundação FEAC.

Fundação FEAC e o enfrentamento da violência

A Fundação FEAC trabalha com a temática da violência desde a década de 1990. Em 1994, implantou, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Programa de Apoio a Menores [terminologia usada na época] em Circunstâncias Especialmente Difíceis na Cidade de Campinas, que realizava atividades socioeducativas com o objetivo de reduzir o número de crianças e adolescentes em situação de rua no município.

Entre 2012 e 2013, duas frentes foram dedicadas ao tema: a qualificação de equipes técnicas dos Serviços de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (Paefi) e o lançamento da publicação Parâmetros para o trabalho social com famílias na proteção social especial de média complexidade.

  • Erradicar todas as formas de violência decorrentes de relações desiguais de gênero, idade, etnia e situação socioeconômica.
  • Conscientizar potenciais vítimas sobre o fenômeno da violência e estratégias para a autoproteção.
  • Universalizar um padrão de serviços humanizados que garantam o sentimento de segurança e apoio às vítimas.
  • Reorientar as estratégias para romper com os ciclos de violência.
  • Incentivar abordagens e soluções inovadoras para o enfrentamento das diversas formas de violência.
  • Romper com a naturalização da violência.
  • Mobilizar a sociedade para agir em relação à violência, evidenciando as diversas formas desse fenômeno e os mecanismos sociais que as perpetuam.
  • Efetivar mudanças culturais e sociais baseadas na cultura de respeito, empatia, tolerância e paz.
  • Incentivar o uso da comunicação não violenta e de ferramentas de gestão de conflitos.

Apoio Institucional às OSC que Executam Serviços da Proteção Social Especial de Média Complexidade
Apoio a 840 famílias por meio de parceria com nove OSC para mitigar os impactos das violências e romper os ciclos que as perpetuam.


Entre Malhas Campo Belo
Fortalecimento positivo de lideranças e atores da rede de proteção da região do Campo Belo, oferecendo subsídios para a compreensão das potencialidades e vulnerabilidades locais, com o objetivo de reduzir o número de crianças e adolescentes em risco de exploração sexual.


Estudo do Impacto do Atendimento Realizado pelo Sesf (Serviço Especializado de Proteção Social à Família)
Realização de estudo de impacto sobre o atendimento de média complexidade do Sesf, para compreender sua estrutura de funcionamento, identificando pontos positivos e oportunidades de melhoria; contribuir com a ampliação da efetividade do serviço; dar base para a proposição de estratégias e diretrizes de atuação da Fundação FEAC nessa temática; e promover a retirada de 1.620 famílias de situações de violência.


Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Campanha pelo fim da violência sexual, com mobilização nas redes sociais, para dar visibilidade ao tema e, assim, obter o comprometimento e engajamento da sociedade na proteção de crianças e adolescentes.


Campanha Mulher: Seu Silêncio Também Machuca
Campanha com o objetivo de romper com o paradigma da naturalização da violência contra a mulher, mobilizando e engajando a sociedade a atuar ativamente para o seu enfrentamento.


Projeto Novo Amanhecer (concluído)
Potencialização e desenvolvimento de ações preventivas para a conscientização e a autoproteção de crianças, adolescentes, jovens e adultos sobre violência sexual, e formação de uma rede de atendimento apta a identificar, notificar e atender de forma humanizada esses casos. Foi executado em parceria com o Centro Promocional Tia Ileide (CPTI) durante sete meses na região Norte de Campinas e finalizado com o Seminário Violências em Debate.


Ame a Vida (concluído)
Atividades artísticas e culturais voltadas para o fortalecimento da autoestima e do protagonismo juvenil como plataforma de prevenção a situações de risco, como o uso de drogas.


Cuidar (concluído)
Projeto de educação realizado na rede pública de Ensino Fundamental e Médio, baseado na cultura e na ética de amor à vida, com o objetivo de preparar os adolescentes para enfrentar situações de risco em seu cotidiano, inclusive condições que geram violência.


Programa de Apoio a Menores em Circunstâncias Especialmente Difíceis na Cidade de Campinas (concluído)
Diminuição no número de crianças e adolescentes vivendo em situação de risco nas ruas de Campinas, realizado em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).


Atuação em rede

Parcerias

Área de atuação do Programa Enfrentamento a Violências

Ir ao Topo