O projeto Empreende Campinas, da Fundação FEAC, firmou parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e está oferecendo cursos gratuitos de capacitação e gestão de negócios para empreendedores em situação de vulnerabilidade social ou de áreas vulneráveis de Campinas.

São dois cursos que integram o programa Empreenda Rápido, do Sebrae. Um deles é o Descomplique, que possui cinco módulos e ensina como formalizar o próprio negócio. O outro, o Super MEI, é composto por quatro módulos e auxilia o empreendedor a aprimorar o seu negócio já formalizado.

Para a realização dos cursos, a FEAC conta com o apoio de organizações da sociedade civil (OSC) de Campinas. Cinco OSC disponibilizaram espaço e infraestrutura para atender aos alunos: a Associação Cornélia Maria Elizabeth V. Hylckama Vlieg, o Centro Comunitário Santa Lúcia, a M.A.E. Maria Rosa, o Projeto Gente Nova (Progen) e o Projeto Filhos.

As organizações locais mobilizam os empreendedores e empreendedoras e compõem as turmas. As aulas são presenciais e duram em torno de duas horas. Os módulos de cada curso possuem quatro horas de duração, totalizando uma carga horária de 36 horas.

Além de apoiarem a FEAC com a mobilização dos participantes, as organizações também estão sendo qualificadas para apresentar as diversas oportunidades aos empreendedores. “O Programa de Desenvolvimento Territorial da FEAC tem o papel de levar diretamente cursos de negócios e acesso de microcrédito para esses empreendedores, mas em paralelo a gente também leva qualificação para as organizações”, explica Marcelo Patarro, líder de Desenvolvimento Territorial da FEAC.

Com a nova proposta, o projeto pretende certificar 800 empreendedores até janeiro de 2023.

Empreende Campinas

O Empreende Campinas é uma continuação do projeto Tempo de Empreender, voltado para apoiar empreendedores impactados pela pandemia da Covid-19. Se antes funcionava apenas como um fundo de empréstimos, com a flexibilização da pandemia o projeto cresceu e hoje possui dois núcleos de atuação.

O primeiro é a capacitação e gestão de negócios, conduzido pelo Sebrae. O segundo é o acesso facilitado ao microcrédito, administrado pela Firgun, uma fintech social. Ambos os parceiros acompanham a trajetória dos participantes do projeto por meio de questionários, a fim de conhecer e orientar melhor o seu negócio e antecipar possíveis dificuldades.

O fundo de empréstimos, único e rotativo, é destinado a empreendedores e empreendedoras de áreas vulneráveis ou em situação de vulnerabilidade. Os empréstimos oferecidos podem variar de R$ 500 a R$ 7 mil e a quantia emprestada para o empreendedor é devolvida ao fundo que se retroalimenta.

Nas edições de 2020 e 2021, o projeto recebeu mais de 500 inscrições das quais 77,5% eram de mulheres. A participação de negros ou pardos também foi majoritária, de 66,7%.

O Empreende Campinas está em sintonia com o desejo da FEAC de gerar mais oportunidades de trabalho e mais renda para pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Por Pietra Bastos