Empoderando populações vulneráveis

Um projeto apoiado pelo Programa Acolhimento Afetivo

O projeto  

O Projeto Novas Páginas pretende atender famílias de origem e extensa de crianças em medida protetiva de acolhimento familiar, em uma metodologia diferenciada de atendimento no processo de aproximação entre crianças e famílias, visando a reintegração familiar.

Observou-se nas visitas monitoradas entre famílias biológicas e crianças que ocorrem na instituição, que as famílias compareciam para as visitas, passavam duas horas com a criança e retornavam para suas casas, sem que houvesse de fato condições estruturais para a prática de cuidados com essa criança, com uma dinâmica que retrate o cotidiano de um lar. Sem contar que a crianças, após a medida de afastamento do seu ambiente familiar, rompem totalmente com seu contexto anterior, retornando apenas no momento da reintegração.

Os serviços de acolhimento têm a proposta primordial de realizar um trabalho em conjunto com os familiares na perspectiva da reintegração familiar. E esse projeto foi pensado com uma metodologia diferenciada: levar as crianças aos seus lares e comunidade de origem visando favorecer uma maior aproximação entre profissionais e familiares, bem como inteirar-se do contexto em que estão inseridos e, a partir da própria realidade, identificar formas saudáveis para novas práticas de cuidado e proteção.

Objetivo

Durante 18 meses o projeto tem como objetivo a aplicação de uma nova metodologia de atendimento às famílias de origem e extensa de crianças em acolhimento familiar, buscando o fortalecimento das relações de afeto entre crianças acolhidas e seus familiares, bem como a otimização do processo de reorganização familiar para a uma reintegração saudável e responsável.

Impacto Social

Reintegrações familiares bem-sucedidas de crianças de 0 a 6 anos em suas famílias de origem e/ou extensa, minimizando a reincidência de novas violações de direitos e consequentemente, de novos acolhimentos.

Como funciona o projeto

QUERO SABER MAIS SOBRE O PROJETO

Atuação

O projeto atua com as famílias de origem e extensa de crianças entre 0 e 6 anos em acolhimento familiar no serviço Conviver – AEDHA. Essa modalidade de acolhimento prevê que famílias voluntárias sejam preparadas e acompanhadas por uma equipe técnica de assistentes sociais e psicólogos para acolherem, de forma temporária, crianças em medida protetiva como alternativa ao acolhimento institucional (abrigo). Essa família permanece com as crianças até que o trabalho com a família de origem e extensa seja realizado e ela possa retornar ao convívio familiar.

Essa mesma equipe que acompanha o acolhimento da criança na família acolhedora realiza um trabalho junto à família de origem ou extensa para reverter a condição que gerou o afastamento. É nesse processo de reaproximação que o Projeto Novas Páginas atua: os encontros que antes eram realizados nas dependências da própria organização, passam a acontecer nas residências das famílias, com a proximidade da equipe com a rotina diária da família e com a criança se familiarizando com o ambiente e a comunidade para onde ela retornará pós reintegração.

O maior envolvimento e comprometimento da família com a equipe técnica e a rede socioassistencial de referência, bem como a relação mais próxima com a família e o ambiente de origem da criança, proporcionarão uma reintegração mais eficaz, uma vez que os vínculos afetivos estarão mais fortalecidos.

  • Público atendido: Famílias de origem e extensa de crianças entre 0 e 6 anos em acolhimento familiar no serviço Conviver – AEDHA.

  • Perfil: Famílias em situação de vulnerabilidade social que tiveram seus filhos acolhidos por medida protetiva e que estão vivenciando o processo de encontros com as crianças para a retomada dos vínculos visando a reintegração familiar.

 Resultados e impactos sociais esperados

27

crianças ao final do projeto reintegradas às suas famílias de origem e extensa.

Quero saber mais

Para saber mais informações sobre este e outros projetos em ação da Fundação FEAC, tirar suas dúvidas ou contribuir com uma sociedade mais justa, clique no botão abaixo e fale com a FEAC.

CLIQUE AQUI

Parceiro executor

Compartilhe Essa História, Escolha a Sua Plataforma!